quarta-feira, janeiro 20, 2016

Tecnologias 3D, 4D, 5D, 6D e 7D

Pessoal,
muitas pessoas não sabem ou não conhecem as tecnologias que trabalham sob a Tecnologia BIM. Para completar, muitas pessoas confundem as tecnologias 4D ao 7D como novas dimensões.
Para aqueles que ainda tem dúvida, continuamos tendo apenas as duas dimensões 2D e 3D.
Com o advento da Tecnologia BIM, percebemos que muitas construtoras e incorporadores tem investido em modelagem 3D para uso dos dados incorporados ao modelo além do uso apenas de maquete eletrônica da edificação.
O sistema de trabalho colaborativo é uma novidade no mercado. Digo isso, pois grande maioria não está acostumada em trabalhar em conjunto, onde é cada um por si e Deus por todos. Com a Tecnologia BIM, nos obrigamos a mudar o modo de trabalhar para conseguir TODAS as vantagens que ela oferece.
O Governo Federal já pensa em tornar obrigatório o uso da Tecnologia BIM em licitações públicas federais. Isso já é um indicio que não temos volta e a migração do CAD para BIM se tornou uma tendencia no Brasil.
Diversos fóruns, seminários e workshops ja se espalharam pelo Brasil para falar ou discutir sobre o assunto.
BIM 3D
Deve-se tomar cuidado em observar que nem todo o 3D é BIM. Podemos considerar um novo termo chamado BIM 3D para distinguir modelagens que não possuem dados por detras dela. Além da propria visualização em 3D, é capaz de carregar dados para analises e geração de diversas tabelas para serviços de planejamento, orçamento e analise de energia.
image
Fonte: B&B Business (Grupo Alexander Justi e Construtora Innovar/GO)
Uma das grandes vantagens do BIM 3D é o que se chama de clash detection (detecção de interferências), isto é, a listagem de todas as interferências dentro do modelo federado (modelo interdisciplinar e multiplataforma) contendo todas as disciplinas.
image
BIM 4D
No BIM 4D, o usuário poderá vincular um planejamento de obra feito no MS Project ou no Primavera dentro de um software que faz a leitura do modelo federado e permite a ligação do tempo e tarefas ao modelo, gerando uma animação grafica sequencial dessa nova obra.

Fonte: https://dharmasistemas.files.wordpress.com/2013/05/navisworks-01.jpg
BIM 5D
No BIM 5D, o usuário poderá vincular códigos de composição de um sistema de orçamento ao modelo, permitindo adicionar informações dos custos da obra aos elementos modelados. Dessa maneira, se torna mais fácil fazer o orçamento final dessa obra, sem que o orçamentista tenha que capturar os quantitativos manualmente e agragar os codigos em cada repetição de um serviço em um novo projeto, visto que podem ficar gravados em um template.

Fonte: http://www.vicosoftware.com/blogs-0/the-agenda/
BIM 6D
Após o As-built, o usuário poderá realimentar o modelo com as alterações geradas in-loco. Dessa maneira, o proprietário ou o gerente da edificação já em uso pode ter um modelo para seu controle de manutenção ou do ciclo de vida da edificação.
Além disso, poderá controlar a garantia de equipamentos, como as bombas, os elevadores, etc. Tendo ainda, dentro do banco de dados do modelo as informações dos materiais, fabricantes, modelos, manuais, telefones e emails de empresas de manutenção, etc.

Fonte: http://www.youbim.com/br/features.html
BIM 7D
Para os usuários que trabalham com analises de eficiência energética, o acrescimo de dados ao modelo que complementem as informações dos coeficientes dos materiais, dos ambientes, do local, do clima, etc, podem ser usados por diversos softwares BIM que se utilizam desses dados para gerar tabelas e graficos para estudo do projeto para melhorar sua qualidade e se tornar mais eficiente.
























Postar um comentário